Compagnie des Quidams na Expodemo 22

Vem de França e é uma companhia de espetáculos e artes de rua que transforma os espaços de atuação em mundos mágicos e que transportam o público numa viagem radiante à terra dos sonhos. O talento, o génio e o engenho vão exibir-se na Expodemo, na noite de sábado, 17 de setembro.

“Fiers à cheval” é o espetáculo que a Compagnie des Quidams preparou para a Expodemo. É um sonho passageiro, uma procissão de imagens que começa com personagens estranhas, bizarramente vestidas, venezianos de ficção científica, orgulhosas de si mesmos… Em 30 segundos o mundo transforma-se numa atmosfera de imagens oníricas, as personagens transformam-se em fantásticos cavalos… Um homenzinho estranho, o “homem das pistas”, presta-se aos jogos, às justas, às coreografias desta fantástica cavalaria… Uma criação musical original acompanha o espetáculo. Sem palavras, mas com sons, sem barreiras, apenas atmosferas musicais…

Fundada em 1994 por iniciativa de seu diretor artístico, Jean-Baptiste Duperray, a Compagnie des Quidams já criou mais de dez espetáculos apresentados em mais de 50 países, da Europa à Austrália passando pela Ásia ou América do Sul. Reúne cerca de 40 artistas e técnicos de diversas formações (teatro, dança, música, circo, etc.).

A Compagnie des Quidams está sediada em Bresse Vallons, uma vila no norte de Ain. Paralelamente à sua atividade de divulgação, desenvolve projetos de sensibilização para as Artes de Rua (ensaios públicos, estágios, oficinas de prática artística, etc.).

Tem uma residência de artistas, Le Grand R, que é disponibilizada a outras estruturas artísticas. “Ao investir nos espaços do cotidiano, as Artes de Rua criam encontros, despertam emoções e convidam o espectador a vivenciá-los de forma diferente. Pensamos as nossas criações como um convite a sonhar, a dar rédea solta ao seu imaginário, um espaço de liberdade onde cada um, através das imagens apresentadas, pode escrever a sua própria história. A linguagem é feita de gestos, danças, música, silêncios; idioma que permite que todos conheçam todos os idiomas e todas as culturas. Esculturas cénicas gigantescas, metamorfoses e iluminação vivem em espaços públicos”.